Para Contato: Clique na foto abaixo.

O Plano de Deus Para a Restauração de Tudo

“Mandará o Filho do homem os Seus anjos, e eles colherão do Seu Reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniquidade. Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.(Mateus 13:41 e 43) Repetidas vezes a Bíblia fala sobre restauração, e para entender o propósito de Deus, teremos que aumentar o leque de nosso conhecimento em relação a cada assunto que envolva os planos de Deus para o futuro da humanidade, e as principais causas que levaram o mundo ao caos, tornando-se necessária uma ampla e completa renovação. Não existe restauração sem que haja o que restaurar. Mas quando se trata do mundo em que habitamos, pouquíssimas coisas existem que não precisam ser restauradas. Muito se fala sobre restauração. Mas, restaurar o quê? O cristianismo, de uma forma muito mais abrangente que se possa imaginar, prega que Jesus veio para restaurar o homem de seu estado decaído para uma nova condição. Quem nunca ouviu as conhecidas frases – “Jesus salva, cura, batiza com o Espírito Santo e leva o homem para morar no Céu?” – Que Jesus salva, cura, e batiza com o Espírito Santo, não temos a menor dúvida. Quanto a levar alguém para morar no Céu, isto Jesus nunca prometeu. Mas será mesmo que o homem, e apenas o homem, precisa ser restaurado pela obra redentora do Filho de Deus? Para responder esta questão, teremos que fazer algumas observações. Deus fez o mundo perfeito, e o entregou a ao homem que criara em condições paradisíacas, com todas as Suas criaturas em perfeita harmonia. De sorte que tudo que Deus criou era bom. “E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto. (Gênesis 1: 31). Com a queda do homem, toda a criação de Deus ficou comprometida, e agora se faz necessário que tudo seja restaurado e volte a ser como era no principio. Com a vinda do Messias, a terra será restaurada e o Reino Milenar será implantado sobre a Terra, mas para que isso ocorra, será necessário que Deus cumpra algumas profecias, principalmente aquelas que foram destinadas diretamente para o tempo do fim. “E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o diabo e Satanás, e o amarrou por mil anos. Lançou-o no abismo, o qual fechou e selou sobre ele, para que não enganasse mais as nações até que os mil anos se completassem. Depois disto é necessário que ele seja solto por um pouco de tempo.” (Apocalipse 20: 1-3). Há no texto acima algo de extrema importância para o entendimento correto desse assunto. Observe que Satanás será preso, antes do milênio, exatamente para que durante este período, ele não engane as nações, que por sua vez, estarão sobre a Terra. Ao contrário do que muitos pensam, o arqui-inimigo de Deus há de ser preso, não porque a Terra estará vazia durante o milênio, mas porque ela estará povoada, e é exatamente por esse motivo que Satanás será preso. Ou seja, para que não mais engane as nações. Com a volta do Messias e a prisão de Satanás, o processo de restauração do Planeta Terra já estará sendo levado a efeito e se prolongará pelo tempo que se fizer necessário. Contudo, ao terminar o milênio, Satanás será solto de sua prisão por um pouco de tempo, ocasião em que sairá na tentativa de enganar os povos que estarão habitando a Terra. Esta será a última tentativa de Satanás para “segundo sua pretensão”, arruinar o Reino de Deus, achando que será possível repetir o que fez com Adão e Eva, no Éden. Porém, dessa vez não acontecerá como no princípio, pois o seu fim está predito. “E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, E sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, para as ajuntar em batalha.E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade amada; e de Deus desceu fogo, do céu, e os devorou.E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.” (Apocalipse 20:7-10) Na epístola de Paulo, Aos Romanos, precisamente no capitulo 8 verso 19, diz que até mesmo a criatura espera pela redenção. Assim está escrito: “Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus. Porque a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa do que a sujeitou.” (Romanos 8 19 e 20) – A principio, se dissermos que a própria criação espera para ser restaurada, muitos poderão achar que estamos loucos. Mas é isso mesmo que está escrito. Vejamos: “Na esperança de que também a mesma criatura será libertada da servidão da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo. Porque em esperança fomos salvos. Ora a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê como o esperará? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos.” (Romanos 8: 21-25) – Mas este não é um texto isolado, em que não se pode embasar para defender uma teoria. A restauração de todas as coisas faz parte do plano redentor de nosso Senhor. Por ocasião da ascensão do Senhor ao Céu, Seus discípulos lhe dirigiram a seguinte pergunta. – “Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel? E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder.” (Atos 1: 6 e 7). A pergunta dos discípulos faz muito sentido. Israel sempre esperou pelo Messias Salvador que os libertasse das opressões de seus inimigos, e embora os judeus não tenham crido no Messias Jesus, os discípulos não tinham a menor dúvida de que ali estava aquele que haveria de trazer restauração completa ao seu povo. Se de um lado, a pergunta dos discípulos merece consideração, por outro, muito mais considerável foi a resposta de Jesus. Vamos analisar cuidadosamente Sua resposta. O Salvador não negou que realmente há um tempo determinado para que Israel seja restaurado. E o que é inefável! Ele deu a garantia de que realmente há um tempo para que isso aconteça, e este tempo foi estabelecido pelo próprio Deus. Mas a promessa de restauração não está resumida apenas nestes versículos. Há uma série de textos bíblicos que confirmam que Deus tem um tempo determinado para completar sua obra redentora, a começar pela redenção do homem, todas as coisas serão restauradas, mas cada coisa em seu devido tempo. Em virtude do que foi dito pelos apóstolos, sabemos que a restauração de tudo já vinha sendo profetizada desde o inicio pelos profetas do Altíssimo. O texto de Atos 3: 21, por exemplo, é bem esclarecedor. Através dele, podemos entender que não apenas o homem precisa ser restaurado ao seu estado original, mas toda a criação de Deus está incluída no plano restaurador do Criador. Mas o que realmente diz esse texto? Vejamos: “O qual convém que o céu contenha até aos tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio.” (Atos 3: 21) Trata-se de uma revelação muito importante. Pois sabemos que tudo há de ser recomposto ao estado edênico. Outro ponto de extrema importância dentro do versículo acima, é que o tempo de restaurar todas as coisas está sendo pautado pela volta do Messias Jesus. Significa que após o retorno do Filho de Deus, muitas coisas hão de acontecer, e para surpresa de muitos, os santos do Altíssimo não serão removidos daqui para qualquer outro lugar. Lembramos que há na Bíblia uma promessa de Novo Céu e Nova Terra. (Apocalipse 21: 1). Este texto tem sido mal interpretado pela grande maioria dos estudiosos das Escrituras. Pois ao dizer que haverá um novo céu, imaginam que se trate do Céu onde habita Deus. Ninguém em sã consciência teria a coragem de dizer que um lugar santíssimo, (o trono do Pai) onde jamais entrou o pecado, necessite renovação. Tratando-se de nova terra, esta teoria é ainda mais infundada, (pois acreditam que Deus fará uma nova Terra lá no Céu, e para lá levará os crentes salvos, deixando o mundo que criara abandonado à própria sorte.) Obs. (O trecho acima entre parênteses (...) será estudado com maiores detalhes nos próximos estudos.) Ora, assim como mar é mar, terra é terra e céu é céu. Na visão de João, foi mostrada a cidade santa, Apocalipse 21, e ali, o apóstolo viu pedras das mais variadas matérias, contudo, não viu ali sequer um torrão de terra. Isto explica as razões de nossas afirmações, em ter João visto ali, o muro de jaspe, e a cidade de ouro puro, o mar de vidro puro, e toda a pedra preciosa como safira, calcedônia, esmeralda, sardônica, sárdio, crisólito, berilo, topázio, crisópraso, jacinto, ametista e pérolas. (Apocalipse 21: 17-21) – É curioso perceber que justamente (terra) a matéria que o mundo inteiro crê que vai encontrar lá no Céu, não tenha aparecido na visão de João. Isto nos dá a certeza de que nosso raciocínio está correto. Isto enriquece os nossos pensamentos em relação ao modo como Deus procederá a restauração de todas as coisas. Saiba-se isto, toda restauração está ligada a algo que se tenha corrompido e necessita se fazer novo. Por isso, quando a Bíblia fala da criação de uma nova terra, significa que se trata desta mesma; sendo renovada. Deus, já desde o principio estabeleceu o mundo assim. Vamos conferir: “E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo.” (Gênesis 1: 8). – “E chamou Deus à porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares; e viu Deus que era bom.” (Gênesis 1: 10). Além dos textos que temos visto, uma profecia de Isaías ratifica nossa argumentação. Deus esclarece através do profeta Isaías: “Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão. Mas vós folgareis e exultareis perpetuamente no que eu crio; porque eis que crio para Jerusalém uma alegria, e para o seu povo gozo. E exultarei em Jerusalém, e me alegrarei no meu povo; e nunca mais se ouvirá nela voz de choro nem voz de clamor.” (Isaías 65: 17-19). Está fartamente perceptível nesta profecia que a nova terra da qual o profeta fala é o próprio mundo onde atualmente vive a humanidade. O profeta está falando da Jerusalém atual, a qual será restaurada e nunca mais se ouvirá nela voz de choro nem voz de clamor. E o que é mais importante, segundo a profecia, esta cidade está situada exatamente dentro dos termos do novo céu e nova terra. Para entender melhor esse assunto, é necessário conferir todos os textos que ainda serão apresentados e convir que a Bíblia fala em restauração e renovação, e não na recriação do planeta. Quando estivermos analisando as parábolas de Jesus, e outras profecias, novas fontes surgirão e novos horizontes mostrarão, trazendo luz ao assunto e então muitas dúvidas serão esclarecidas. Como entender o texto de João 14: 3? O texto mais usado por aqueles que pregam uma ida da Igreja para o Céu está no evangelho de João, precisamente no capitulo 14 e versos 1 ao 3. “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.” (João 14: 1 – 3). Inacreditavelmente, há quem diga que neste texto, Jesus está prometendo levar Sua Igreja para o Céu. Arrazoemos: o vocábulo (céu) nem sequer foi pronunciado por Jesus nesta conversa com Seus discípulos, e a única vez que falou em levá-los, não foi para o Céu. O Senhor disse: (vos levarei para mim mesmo, para que vós estejais onde eu estiver) Ele não está fazendo nenhuma promessa de levar alguém para o Céu, mas, prometendo levá-los para que eles estejam onde Ele estiver. Considerando que todas as vezes que a Bíblia fala sobre a volta do Messias, ela está referido a um retorno permanente, ou seja, uma estadia, e não uma simples aparição nas nuvens dos céus. Concluímos então que este texto não prova nada em relação a essa teoria. Onde estará o Senhor quando vier? Compare os versos a seguir, e veja como eles auxiliam no entendimento em relação ao retorno do Messias, e como mostram onde estará o Senhor no dia de sua Volta. – “Quando, pois, vier o senhor da vinha, que fará àqueles lavradores?” (Mateus 21: 40). De acordo com essa passagem, o Senhor em seu retorno estará tomando contas com os lavradores maus. – “E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória; E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas;” (Mateus 25: 31, 32). Igualmente neste texto, Jesus em seu retorno a terra estará sendo entronizado para julgar as nações, reunindo-as, diante d’Ele. – “Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;” (Mateus 25: 34). A expressão de Jesus: (desde a fundação do mundo) dá a entender que o reino, do qual está falando, é o próprio mundo. Veja Mateus 13: 38 – 41. Trata-se do Paraíso do Éden, que é o reino fundado desde a fundação do mundo. – “Sendo, pois, ele profeta, e sabendo que Deus lhe havia prometido com juramento que do fruto de seus lombos, segundo a carne, levantaria o Cristo, para o assentar sobre o seu trono,” (Atos 2: 30). Foi para isso mesmo que nasceu Jesus. Ou seja, para se assentar sobre o trono de Davi. Quando Gabriel anunciou à Maria que daria à luz um filho, ao qual deveria dar o nome de Jesus, também lhe disse: “Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai” (Lucas 1: 32). Todos sabemos que o trono de Davi está na Terra, e a promessa de Deus a Davi é levantar o Cristo para assentar-se sobre o seu trono. – “E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinham escrito o nome de seu Pai.” (Apocalipse 14: 1). Assim como o trono de Davi, o Monte de Sião está em Jerusalém, e naquele dia o senhor estará ali, havendo de voltar assim como também subiu. “Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.” (Atos 1: 11). Para cumprir a promessa dos anjos, aos galileus, é necessário que o Cristo pise Seus pés sobre o Monte das Oliveiras, e também a visão de João onde viu o Cordeiro com os 144,000 sobre o monte de Sião. (Apocalipse 14: 1). Não seria justo terminar este estudo sem apresentar uma profecia de Zacarias, que diz exatamente onde estará o Messias quando voltar. Vejamos: “E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém...” (Zacarias 14: 4). Sempre que o assunto envolve a salvação, a primeira coisa que sobe à mente humana é subir para o Céu e ali permanecer por toda a eternidade. Mas à luz da Palavra de Deus, essa teoria não tem consistência alguma, e não merece crédito, porquanto não condiz com a verdade. Na visão apocalíptica de João é dito com todas as letras, que o Messias Jesus estará em mais de um lugar naquele tempo, quando estiver em seu reino. Confira: “... Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá...” (Apocalipse 14: 4). A visão de João é coerente com o que Jesus falou em João 14: 3. São praticamente as mesmas palavras, e se comparados os dois textos, João 14: 3, com Apocalipse 14: 4 vejam como fica: (... para que onde eu estiver estejais vós também.) e (... Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá...) Leitura Auxiliar: “E edificarão os lugares antigamente assolados, e restaurarão os anteriormente destruídos, e renovarão as cidades assoladas, destruídas de geração em geração.” (Isaías 61: 4) “Porque, como a terra produz os seus renovos, e como o jardim faz brotar o que nele se semeia, assim o Senhor DEUS fará brotar a justiça e o louvor para todas as nações.” (Isaías 61: 11) “Porque o Senhor consolará a Sião; consolará a todos os seus lugares assolados, e fará o seu deserto como o Éden, e a sua solidão como o jardim do Senhor; gozo e alegria se achará nela, ação de graças, e voz de melodia”. (Isaías 51: 3) “Pois ainda um pouco, e o ímpio não existirá; olharás para o seu lugar, e não aparecerá. Mas os mansos herdarão a terra, e se deleitarão na abundância de paz”. (Salmos 37: “Mandará o Filho do homem os Seus anjos, e eles colherão do Seu Reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniquidade.” (Mateus13:41). Se Jesus vai enviar seus anjos para que colham os ímpios de Seu Reino, como diz o texto acima, logo Seu Reino é o próprio Planeta Terra, pois é na Terra que estão os ímpios. Medite! Bom estudo e bom entendimento! HRDESOUZA – UNID evangelização.

Leitura Auxiliar:

“E edificarão os lugares antigamente assolados, e restaurarão os anteriormente destruídos, e renovarão as cidades assoladas, destruídas de geração em geração.” (Isaías 61: 4)

“Porque, como a terra produz os seus renovos, e como o jardim faz brotar o que nele se semeia, assim o Senhor DEUS fará brotar a justiça e o louvor para todas as nações.” (Isaías 61: 11)

Porque o SENHOR consolará a Sião; consolará a todos os seus lugares assolados, e fará o seu deserto como o Éden, e a sua solidão como o jardim do SENHOR; gozo e alegria se achará nela, ação de graças, e voz de melodia.

Porque os malfeitores serão desarraigados; mas aqueles que esperam no SENHOR herdarão a terra. Pois ainda um pouco, e o ímpio não existirá; olharás para o seu lugar, e não aparecerá.

Mas os mansos herdarão a terra, e se deleitarão na abundância de paz. (Salmos 37: 9-11)

Nenhum comentário:

Postar um comentário